cantinho da folia

Bailes Carnavalescos

A primeira referência a Baile de Máscaras no Brasil é do ano de 1840, no Rio de Janeiro, importado da Europa pelas classes altas, junto com alegorias sofisticadas. Nessa época, surgiram os confetes, as serpentinas e o lança-perfume (1).


primeiro baile de máscaras

A "Elite Carioca" por considerar o grosseiro os festejos carnavalescos acabou copiando o "Bal Masqué" do carnaval parisiense (Paris, França) em teatros e salões. O primeiro BAILE DE MÁSCARAS no Brasil foi realizado em 1840, no Hotel Itália (Largo do Rócio), no Rio de Janeiro. Tamanha foi a repercussão que o ano seguinte, a maioria dos estados e principais cidades brasileiras aderiram ao baile carnavalescos.
Dos salões, os Bailes foram transferidos aos Teatros,

Os grandes bailes carnavalescos da Bahia foram em Salvador, promovidos pelo Teatro São João e pelos clubes Cruz Vermelha e Fantoches da Euterpe, em 1884 e pelo Inocentes em Progresso em 1890, surgem como campanha ao esquecimento do entrudo, numa tentativa de importar o carnaval de Nice e Veneza, cuja exaltação ao luxo e à pompa, trariam à cena do carnaval brancos e crioulos de classe média. As fantasias e as famosas máscaras venezianas inspiravam-se nos bailes de Paris.

animados pela POLCA (primeiro ritmo instrumental carnavalesco), quadrilhas, valsas, tango e maxixe. Em 1880, os Bailes incluiram músicas "cantadas" entoada pelos coros. No Carnaval de 1903, o Rio inteiro perguntava QUEM INVENTOU A MULATA?. Em 1907 foi realizado o primeiro BAILE INFANTIL, dando início às famosas matinês.

As novidades não pararam por aí e as modalidades se multiplicavam, como as festas em casas de família, bailes ao ar livre, bailes infantis, e até mesmo bailes em circo. Em 1909, surge o primeiro concurso, premiando a mais bela mulher, a fantasia mais bonita e a melhor dança. Os prêmios eram joias valiosas e somente os homens tinham direito a voto. O Baile Caju Amigo criado em 1951 de Carlos Niemeyer (Nini). Nos anos 60, o Baile dos Pierrôs. O SUGAR LOAF CARNIVAL BALL criado em 1978 pelo produtor musical Guilherme Araújo, foi um dos mais lindos e elegantes bailes de carnaval do Rio de Janeiro, sendo realizado em 15 edições.

A "Elite Carioca" por considerar o grosseiro os festejos carnavalescos acabou copiando o "Bal Masqué" do carnaval parisiense (Paris, França) em teatros e salões. O primeiro BAILE DE MÁSCARAS no Brasil foi realizado em 1840, no Hotel Itália (Largo do Rócio), no Rio de Janeiro. Tamanha foi a repercussão que o ano seguinte, a maioria dos estados e principais cidades brasileiras aderiram ao baile carnavalescos.
Dos salões, os Bailes foram transferidos aos Teatros. Em 1880, os Bailes incluiram músicas "cantadas" entoada pelos coros. No Carnaval de 1903, o Rio inteiro perguntava QUEM INVENTOU A MULATA?, de Ernesto Souza.

Nestes anos o Carnaval no Rio de Janeiro é comemorado duas vezes, devido:
Em 1892 - O carnaval do Rio de Janeiro é transferido para o mês de junho por ser mais saudável.
Em 1912 - O Carnaval é transferido para o mês de julho devido ao falecimento do Barão do Rio Branco.

1897 - Confetes trazidos da Europa são introduzidos no Carnaval Carioca
1906 - Os desfiles são transferidos da Rua do Ouvidor para a Avenida Central
1906 - Uso do Lança Perfume no Carnaval
1949 - A Rádio Continental transmite o Carnaval pela primeira vez

Em 1840 surge o Carnaval no Hotel Itália, na Rua Tiradentes
Em 1904 - surge a denominação BLOCO DOS SUJOS, satirizando e limpeza do Rio de Janeiro durante o Carnaval efetuada por Pereira Passos.
Em 1907 surge o primeiro BAILE INFANTIL organizado pela Colomy Clube
Em 1909, O Jornal do Brasil organiza o primeiro concurso de Ranchos, no Rio de Janeiro
Em 1909 surge o primeiro concurso, promovido pelo Baile High Life (fundado um ano antes), elegendo a mais bela mulher, a melhor fantasia e dança, promovido pela High Life só os homens votavam. O prêmio era uma jóia valiosa e só os homens votavam.
Em 1918 surge o Baile dos Artistas no Teatro Fênix, até 1921. Passou pelo Assyrius e Teatro Municipal e em 1932 foi para o Hotel Glória.
Em 1932, surge o Baile do Municipal no Teatro Municipal com a presença do Presidente Getúlio Vargas. O Baile ganhou fama internacional pelo Concurso de Fantasia. Destaque para Clóvis Bornay.
Em 1951, surge o Baile Caju Amigo de Carlos Niemeyer (Nini). Nos anos 60, o Baile dos Pierrôs.
Em 1978 criado pelo produtor musical Guilherme Araújo, surge o O SUGAR LOAF CARNIVAL BALL, considerado um dos mais lindos e elegantes bailes de carnaval do Rio de Janeiro, sendo realizado em 15 edições.


clubes, sociedade e baile de máscaras

Os bailes eram refúgios dos mais abandonados. Que daí chegavam os "grandes clubes", importação da Europa. As decorações eram suntuosas, por vezes baseadas em fatos históricos. Tudo do mais luxuoso, tecidos e ornatos vindos diretamente das melhores lojas para o carnaval da Bahia. O uso de máscaras também é emblemático desse período.

Os bailes carnavalescos não estavam ao alcance de todos, nem de acordo com a moral de muitos, assim os policiais passaram a distribuir gratuitamente máscaras a quem quisesse brincar o Carnaval, ou seja, "os mascarados avulsos".


.. C O N S T R U Ç Ã O ...


BIBLIOGRAFIA
(1) AMORIM, Sonia Maria Costa de. Carnaval e Máscara: a magia da cena brincante da cidade de Rio de Contas, Salvador, 2006.
- Cadernos do IPAC, nº 3, Maragojipe




CarnAxE, o autêntico e mais completo Portal do Carnaval

Cultura e Folia : www.carnaxe.com.br